Estou fugindo de relações amorosas



Estamos sujeitos a sofrer emocionalmente, por expectativas e idealizações que levantamos acerca do outro.  A angústia gerada pela incerteza em dar certo ou não com alguém pode ser limitante, o sofrimento causado pode fazer com que seja uma pessoa protetora, que vai temer ao sentir que existe certa intimidade levando a uma possível vulnerabilidade.

No texto “Tenho medo de envelhecer sozinha” levantei questionamentos sobre o medo de se relacionar, que tem impedido de construir uma relação centrada no compromisso, confiança, intimidade e que seja duradoura, expliquei como funcionam as imposições, que geram uma fuga das relações amorosas.

Espero te ajudar com algumas questões para romper com bloqueios que possam te impedir de dar continuidade no relacionamento:
  • Cuidado com a autossabotagem, é quando criamos mecanismos de defesa, inconsciente ou consciente, para que tudo dê errado. Por exemplo, você “permite” que o parceiro faça algo que não irá te agradar, mesmo sabendo que poderia ter conversado com ele antes e falado sobre o que não gosta numa relação ou até deixa de sair para um local que teria que conhecer novas pessoas, bloqueando as oportunidades de interações sociais, já que através das interações sociais que existem as possibilidades de conhecer parceiros.
  • Não transmita a mensagem de desinteresse, você já deve ter ouvido a frase “gente desinteressada desinteressa gente”, portanto, afirmar constantemente que está muito bem sozinha, que não tem tempo para relacionamento, que namorar da trabalho, mesmo que seja momentâneo pode atrapalhar uma futura relação. Existe também o desinteresse com uma disputa de duas pessoas, quem vai mandar mensagem primeiro e se demora a responder você demora também, saiba o que você quer e esteja disposta para isso.
  • Estar sempre duvidando e questionando tudo, considerando pontos e opiniões indicutíveis, rebatendo tudo que lhe apresentado mesmo subjetivo ao outro. Não esteja cético ao ponto de prejudicar a própria felicidade.
  • Não ter tempo para uma relação, reflita se nesse momento você poderá se disponibilizar para lidar com as demandas de outra pessoa, o quanto de investimento terá que fazer para que essa relação dê certo, quais são os benefícios e qual retorno haverá dessa relação.
  • Tenha maturidade emocional, saber aceitar o que passou, que está passando, que está por vir e deixar fluir. Ser capaz de controlar suas emoções e não evitar as frustrações, associado com a falta de maturidade emocional evitando um possível sofrimento. Ser emocionalmente madura é saber que é importante ser feliz, mas que também passará por momentos de tristeza.
  • Busque autoconhecimento, conhecer as próprias características da personalidade, se é uma pessoa mais impulsiva ou sensível, o que te motiva ou desmotiva, aceitar sua subjetividade e estar disposta a melhorar. Conheça entenda os limites que você coloca na sua vida, observe suas reações diante situações de “ameaça”.
  • Não tenha medo de expressar seus sentimentos, seja honesta, tire a armadura, deixe o medo de ser julgada ou não correspondida de lado, você não estará vulneravél por se expressar com clareza o que sente.
  • Cuidado com a baixa autoestima, ela pode provocar certa incapacidade em se relacionar. Entenda que possui algo de valioso e que pode ser importante para alguém, acredite que tem algo a contribuir e que outro vai se interessar por isso.

Considere, de fato, conhecer as pessoas, enxergando a essência delas, compreendendo a utilidade que o outro pode ter, as características únicas que podem compartilhar. É estar disposta a descobrir o real valor do outro e da construção dos relacionamentos.

Tire essa semana para reflexão, como tem cultivado suas relações, desfrute das companhias, mude algumas atitudes que são prejudiciais para suas relações através das questões citadas acima. 

Acompanhe-me no instagram @curapelafala, lá terá mais conteúdos através de vídeos sobre esse tema.

-------
Sobre a autora
Steffi Queiroz e Silva (CRP 09/11032), psicóloga clínica e organizacional, graduada pela Universidade Salgado de Oliveira – UNIVERSO. (Brasil), MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e Coaching, formação complementar em Avaliação Psicológica em Orientação Vocacional na PUC-GO, atuante na área clínica no Instituto de Psicologia Goiânia com ênfase em psicanálise.


2 comentários:

  1. Quero que todos saibam o quão grato estou após a restauração do meu casamento com a ajuda de um feiticeiro chamado Dr.John. Ele é ótimo e único, consegui o contato dele aqui online a partir de testemunhos que li sobre ele .. eu disse a ele meus problemas e ele lançou um feitiço de amor que trouxe meu marido de volta para mim depois que ele me traiu e quis o divórcio, para minha maior surpresa meu marido veio com um carro novo marrom que ele acabou de comprar para mim, esta é a melhor coisa que já aconteceu comigo e agora estamos vivendo muito felizes juntos. Dr.John está lá para responder ao seu problema de relacionamento e qualquer problema espiritual. entrar em contato com ele no e-mail: doctorjohn909@gmail.com, você também pode adicioná-lo no WhatsApp +971528657959

    ResponderExcluir

Pages